4 de jun de 2018

AS MAIS BELAS FOTOGRAFIAS DE UM REBANHO


Fonte: Qualitas Melhoramento Genético

https://qualitas.agr.br/

Autor

Sou realmente fã de fotografias dos rebanhos dos nossos parceiros, principalmente quando elas são feitas por profissionais e não por amadores como eu. É o caso da foto acima, tirada pelo José Maria, que consegue captar momentos realmente espetaculares dos animais. A beleza própria dos animais e, especialmente no caso desta foto, o movimento que ficou congelado, é algo realmente fascinante e que me remete às exigências do grande artista do século XVI, Leonardo da Vinci. Para trabalhar suas pinturas, Leonardo foi um profundo estudioso das regras de perspectiva e contraste entre luz e sombras e, antes de pintar um ser vivo, estudava a sua anatomia profundamente, dissecando cadáveres de seres humanos e animais com a mesma minúcia de um estudioso de medicina cirúrgica. Além disso, para ele era imprescindível transmitir os movimentos de seus modelos com perfeição, a ponto do observador da pintura se sentir incomodado sem saber se o modelo representado está ou não sorrindo. Vocês já repararam isso na Monalisa?

Garrotes da Faz. Capivara – Piacatu – SP – foto JMMatos Produções

Agora, acordando dos meus devaneios artísticos e voltando para a realidade da pecuária de corte, gostaria de mostrar algumas fotografias que pouquíssimos pecuaristas têm de seus rebanhos, mas são capazes de apresentar a verdadeira beleza ou, infelizmente, a “feiura” do gado. Estas fotografias são os pilares da seleção dos animais e a garantia de que os animais selecionados são realmente melhoradores. Estou falando do gráfico que representa a distribuição normal, que é considerada a mais importante distribuição estatística, considerando a questão prática e teórica. A distribuição normal é apresentada em formato de sino, unimodal e simétrico em relação a sua média, distribuindo a frequência das ocorrências acima e abaixo da média. Considerando a probabilidade de ocorrência, a área sob a curva soma 100% da amostra.m No caso específico deste texto iremos apresentar os gráficos para três características dos machos nascidos na safra de 2016 da Faz. Capivara de Piacatu – SP, parceira do Qualitas desde 1994. É a mesma fazenda da bela foto acima. Apresentaremos as distribuições normais do peso ajustado aos 210 dias, ganho de peso dos 210 dias até os 450 dias e o perímetro escrotal aos 450 dias de idade. Foram 466 machos desmamados sem receber fornecimento de creep-feeding, ou seja, somente à pasto. Todos os pesos foram ajustados para os 7 meses de idade (210 dias). O ajuste dos pesos é necessário para se comparar corretamente os bezerros, uma vez que eles nasceram em meses distintos (agosto a dezembro de 2016). O peso médio ajustado foi de 226 Kg. E essa é primeira diferença nas fotografias entre os rebanhos dos pecuaristas que fazem melhoramento genético e os que não fazem. O pecuarista que não faz se vangloria em dizer que desmama bezerros acima de 200 Kg mas, geralmente essa desmama ocorre aos 8 ou 9 meses. Com os bezerros da Faz. Capivara, o peso à desmama subiria para 253 Kg, se o ajuste fosse feito para os 8 meses de idade!

Gráfico 1 – Distribuição normal dos pesos ajustados aos 210 dias

– machos nascidos em 2016 – Faz. Capivara – Piacatu – SP.

No eixo X estão as quantidades de bezerros e no eixo Y os pesos

Por meio deste gráfico conseguimos realmente ver como foram os bezerros desmamados da fazenda. A parte feia da foto, são os bezerros desmamados abaixo de 180 Kg. Que neste caso significaram 22 bezerros ou 4,7% do total desmamado. Opa! Mas e na sua fazenda, quantos bezerros são desmamados abaixo de 180 Kg? Do ponto de vista de seleção, podemos classificar os animais acima e abaixo da média, com base em outro fator estatístico, o desvio padrão. Ele mostra a dispersão da população em relação à média. No caso do peso de desmama, o desvio padrão foi de 29 Kg. Quanto maior o desvio padrão, maior a variabilidade dos animais em relação à média. A classificação em elite, superior, regular e inferior é em função do desvio padrão. Animais com até um desvio padrão acima da média são os superiores. E os com até um desvio padrão abaixo da média são os regulares. Estas duas classes representam 72% dos animais. Os animais elites, que apresentam mais de um desvio padrão acima da média, foram os bezerros acima de 255 Kg até 304 Kg. E os inferiores, os que pesaram abaixo de 197 Kg. Essas duas classes representam, cada uma, cerca de 14% dos bezerros. A aplicação prática disso em seleção é a seguinte: elimine a genética dos animais inferiores do rebanho (vacas, bezerros e bezerras), selecione para reprodução as fêmeas e machos superiores e elite. Assim, você estará garantindo o progresso genético no seu rebanho.

Gráfico 2 – Distribuição normal do ganho de peso dos 210 aos 450 dias

– machos nascidos em 2016 – Faz. Capivara – Piacatu – SP.

Da mesma maneira, temos a fotografia dos animais para ganho de peso após a desmama até aos 15 meses de idade. Do ponto de vista de seleção, os animais que interessam são os que ganharam acima 108 Kg ou 0,450 Kg por dia. E quando unimos o peso médio de desmama 226 Kg + o ganho de peso, 108 Kg, temos um peso médio aos 15 meses de 334 Kg. O mais formidável é identificar animais que ganharam até 0,750 Kg/dia, ou 67% a mais que a média, nas mesmas condições! E que os melhores animais estavam acima de 400 Kg aos 15 meses de idade.

Gráfico 3 – Distribuição normal do perímetro escrotal ajustado aos 450 dias

– machos nascidos em 2016 – Faz. Capivara – Piacatu – SP.

A fotografia para perímetro escrotal aos 15 meses mostra uma média excelente de 27,8 cm com animais variando de 20,8 até 35,7 cm. Vejam que a variação é enorme e é isso que viabiliza a seleção e o progresso genético. O desafio é ir aumentando a média para cada característica selecionada, a fim de aumentar as medidas dos animais regulares e inferiores para que, no futuro, estes tenham as medidas dos superiores e elites de hoje. E os animais realmente “TOP”, quem são? Ora, agora que temos as fotografias mais importantes do rebanho conseguimos identificar os animais que são realmente os melhores indivíduos, que combinam peso de desmama, ganho de peso após a desmama e perímetro escrotal. Estes dois machos apresentaram as seguintes medidas:

Eles foram os animais mais pesados aos 450 dias e apresentaram os maiores perímetros escrotais da safra 2016 na fazenda. Agora, o mais importante, os dois são filhos de primíparas que emprenharam aos 14 meses. E desmamaram “bezerrinhos” de 236 e 260 kg, respectivamente. Mas o que isso realmente mostra de importante em termos de seleção? Que a Fazenda Capivara está fazendo o que deve ser feito, descartar os animais inferiores e multiplicar os superiores. E isso faz com que a genética dos animais mais jovens seja superior à dos animais mais velhos. Isso se comprova na próxima tabela:

Os números mostram que, apesar de desmamarem mais leves, os bezerros não só alcançaram, mas ultrapassaram, o peso aos 15 meses dos bezerros filhos das vacas mais velhas, mostrando que o processo utilizado para identificar a melhor genética, privilegiando o ganho após à desmama, realmente está garantindo o progresso genético e, por consequência, aumentando a lucratividade da fazenda. Parabéns e obrigado à Faz. Capivara por nos permitir acompanhar a evolução deste rebanho que é realmente um espetáculo na foto! E a fotografia do seu rebanho, como está? Grande abraço e inté!

Pensamento do mês

Pensamento do mês